Liberdade do homem é ordenada

O deus indiano Vishnu, como o Homem Cósmico Man (Vishvarupa). Imagem por Wikipedia Loves Art participant "va_va_val" [CC BY-SA 2.5 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5)], undefined
O deus indiano Vishnu, como o Homem Cósmico Man (Vishvarupa). Imagem por Wikipedia Loves Art participant “va_va_val” [CC BY-SA 2.5 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5)], undefined

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A liberdade do homem cósmico não é plena, como se supõe, mas ordenada. Em liberdade ordenada, é contido pela ordem, ao se dirigir cada vez mais a Deus. A realidade ordenada tende ora para a conformação, ora para a tensão.

A grande unicidade, a consciência cósmica, permeia a realidade e a evolução é o sentido do movimento. O percurso não é retilíneo, mas pende ora para um lado, ora para outro. É, assim, bipolar.

A bipolaridade é necessária para que haja evolução. Ela exprime o negativo e o positivo, o bem e o mal, a paz e a guerra.

Ela define um movimento cíclico, ou pendular, enquanto flui com o tempo, dirigido evolutivamente por Deus. As coisas seguem um padrão segundo o qual a realidade se manifesta de um polo a outro.

Da tensão para a tranquilidade

No processo, tudo o que existe evolui, sendo o movimento evolucional nunca regride ou estaciona, embora possa ser retardado ou adiantado.

O real se movimenta da conformação para a tensão, seguindo novamente para a conformação. Ou seja, a tranquilidade aglutina forças que aumentam gradativamente de intensidade enquanto a tensão aumenta, até manifestação na forma de crise, que por sua vez, se desenvolve até a ruptura, para daí, chegar à tranquilidade, e assim por diante.

Desta forma, as manifestações bipolares são faces da mesma realidade.

Opção e caos em liberdade ordenada

Outro ponto importante, a considerar, é a liberdade. Sendo cósmica, não é plena, mas ordenada. Como o sentido é o da evolução, pendendo ora para o bem, ora para o mal, estará se dirigindo inexoravelmente para Deus, do qual tudo emerge.

Mas, a opção pelo bem, evidentemente, adianta a evolução. Contudo, a opção pelo mal tem implicações perversas, porque nela, o homem prejudica a si mesmo, ao retardar sua evolução.

Assim, na liberdade ordenada, o homem cósmico não faz tudo o que quer ou deseja, pois é limitado pela ordem. Caso contrário, engendraria o caos.

O bem é o da humanidade e da biosfera

Ao atingir a consciência cósmica, o homem tende cada vez mais ao bem, rompendo a armadilha do ciclo bipolar para se adiantar na trilha evolutiva.

Na sua nova liberdade ordenada, o homem cósmico percebe que a moral não é relativa e que há um sentido lógico para o bem.

Não o bem de cada qual, mas o da humanidade e da biosfera, o conjunto se seres vivos habitando este planeta. o homem cósmico consegue isso através da humildade, pela qual vê no outro a na natureza a sua própria vida, uma imagem de si mesmo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =