Transição de era geológica

Esta imagem mostra claramente o que os cientistas chamam fronteira entre o período Cretáceo, mais escuro, e o Paleógeno, mais clara. Fica no Parque Estadual de Trindade, no Colorado, EUA. Imagem: by Nationalparks (Own work) [CC BY-SA 2.5 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5)], via Wikimedia Commons

Esta imagem mostra claramente o que os cientistas chamam fronteira entre o período Cretáceo, mais escuro, e o Paleógeno, mais clara. Fica no Parque Estadual de Trindade, no Colorado, EUA. Imagem: by Nationalparks (Own work) [CC BY-SA 2.5 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5)], via Wikimedia Commons

O impacto que construiu a cratera Chicxulub, no México, e erradicou os dinossauros, há 65,5 milhões de anos, foi 2 milhões de vezes mais poderoso que uma bomba de hidrogênio, e causou uma mudança de era geológica.

Eu fiz referências aos efeitos da queda do asteroide, que se supõe teria cerca de10 km de diâmetro. A as ondas sísmicas originadas no local do impacto se espalharam, resultando em deslocamento de solo, tsunamis, terremotos e atividade vulcânica.

A cratera que se formou mede mais de 180 km de diâmetro e cerca de 20 km de profundidade. É uma das maiores crateras de impacto deste planeta. Ela foi descoberta no fim dos anos 1970, quando geofísicos faziam sondagens em busca depetróleo.

O impacto marcou a transição do período Cretáceo e início do período Paleógeno, marcado por uma enorme mudança na biodiversidade do planeta.

Ainda houve reflexos poderosos na região antipodal do impacto, correspondente à área do globo oposta da cratera, onde a energia da colisão inicial se juntou como um segundo impacto, menor que o primeiro.

O foco antípoda foi determinado pelo modo como as características e composição deste planeta ferido direcionou e absorveu as ondas sísmicas.

Esta imagem de radar, mostrando a extremidade norte da Península do Yucatan, no México, revela parte da cratera de  Chicxulub. Imagem: Mapa fonte: by NASA/JPL-Caltech, modified by David Fuchs at en.wikipedia [Public domain], via Wikimedia Commons

Esta imagem de radar, mostrando a extremidade norte da Península do Yucatan, no México, revela parte da cratera de Chicxulub. Imagem: Mapa fonte: by NASA/JPL-Caltech, modified by David Fuchs at en.wikipedia [Public domain], via Wikimedia Commons

Ondas sísmicas se espalharam por todo o globo

As características da superfície e a forma da Terra determinaram como elas influenciariam a propagação da atividade sísmica que se seguiu ao impacto do asteroide.

Depois do impacto, as ondas sísmicas viajaram para fora do ponto zero através da superfície da Terra, como acontece depois que uma pedra é atirada na água.

Essas ondas viajaram por todo o globo e se encontraram em um simples ponto no lado oposto ao impacto, conhecido como antípoda, onde hoje se situa a Índia.

Uma vez que a Terra tem uma forma elíptica, e sua superfície é heterogênea, as ondas viajaram com diferentes velocidades em áreas diferentes.

Extinção em massa no Cretáceo tardio

A velocidade de propagação mudou onde as ondas terminam no outro lado do mundo. A amplitude das ondas também se alterou, quando elas chegaram ao antípoda.

As ondas sísmicas também foram influenciadas pelas características do interior da Terra. O efeito no lado oposto ao do impacto foi um resultado dessa estrutura completa.

O asteroide que colidiu com a Terra, próximo a Chicxulub, está conectado a outras teorias de extinção em massa do Cretáceo tardio.

Por exemplo, há uma teoria importante, segundo a qual um asteroide deflagrou grandes erupções vulcânicas que mudaram o clima.

Mapa mostrando anomalias gravitacionais que denunciam a cratera de Chicxulub, onde caiu o asteroide de 10 km que extinguiu os dinossauros. Imagem by Milan Studio.Milan studio at en.wikipedia. Later version(s) were uploaded by Beao at en.wikipedia. [Public domain], from Wikimedia Commons

Mapa mostrando anomalias gravitacionais que denunciam a cratera de Chicxulub, onde caiu o asteroide de 10 km que extinguiu os dinossauros. Imagem by Milan Studio.Milan studio at en.wikipedia. Later version(s) were uploaded by Beao at en.wikipedia. [Public domain], from Wikimedia Commons

Tais erupções teriam originado os Deccan Traps da Índia, região que é, aproximadamente, o lado oposto da Terra em relação à cratera Chicxulub, originada no mesmo período geológico.

Deslocamento de solo

Contudo, uma vez que a América do Norte estava mais perto da Europa, e a Índia estava mais perto de Madagascar, durante o período Cretáceo, é ainda questionável se os Deccan Traps da Índia sejam o antípoda ao impacto de Chicxulub.

Com relação à extinção em massa, um impacto do tamanho de Chicxulub, sozinho, seria muito pequeno para causar a enorme erupção vulcânica que aconteceu nos Deccan Traps.

O foco antípoda das ondas sísmicas foi largamente superestimado em cálculos anteriores, que levavam em conta um modelo de uma Terra esférica e de superfície regular, então utilizado.

Devido à força do impacto, houve deslocamento de solo no foco antípoda. Os cálculos mostram que o deslocamento máximo de solo no antípoda ao impacto foi de até 5 m .

Leia também:

Nossa nave ameaçada

Asteroides que passaram por aqui

Explosão em Chelyabinsk

Impacto na Terra: evitando o pior

Você está em:

Transição de era geológica