Astrofotos com meu refletor de 254mm

 

Júpiter e seus satélites Ganimede, Io, Europa e Calisto. Astrofoto: Tom Lima.

Júpiter e seus satélites Ganimede, Io, Europa e Calisto. Astrofoto: Tom Lima.

Eu fiz astrofotos de Júpíter, da Lua e estrelas na noite de 31 de dezembro de 2011, com uma câmera digital comum, de 12M, adaptada ao meu telescópio dobsoniano de 245 mm, que eu mesmo construí. É, foi assim.

Enquanto a cidade espocava foguetes para 2012. Logo no fim da tarde, levei meu equipamento para o quintal e aguardei a noite chegar. A princípio, as perspectivas não eram nada promissoras, pois do nada, de repente, ficou nublado.

Na verdade, o céu estava muito limpo, no cair da tarde. Mas, ao anoitecer, as nuvens surgiram. Fiquei desanimado, mas aguardei.

Meu equipamento era o telescópio refletor newtoniano de 25 cm, construído por mim mesmo, oculares e filtros para observação lunar e planetária, além de um termômetro ambiental.

O céu estava completamente limpo

Além disso, levei dois exemplares das edições de dezembro das revistas norte-americanas Astronomy e Sky & Telescope, das quais sou assinante, e contêm efemérides astronômicas atualizadas.

A esse conjunto, juntei uma lanterna vermelha acoplada a uma lupa, para observação noturna de cartas celestes. Fiz algumas fotos da Lua no início da noite, enquanto o céu permitisse e o satélite passasse entre aberturas grandes o suficiente.

Felizmente, as condições meteorológicas mudaram da água para vinho e o céu ficou completamente limpo, após as 21h. Ganimede, Io, Europa e Calisto Eu aproveitei para fazer algumas fotos astronômicas que pudesse usar neste blog. Para ser franco, foi uma experiência inédita.

Apesar de gostar muito de astronomia e ter na fotografia um hobby, não levava a sério a possibilidade de fotografar os astros, embora cogitasse fazer desenhos deles.

Imagem de Júpiter, feita com meu telescópio refletor de 254mm que eu mesmo construí, com webcam comercial. Tom Lima.

Imagem de Júpiter, feita com meu telescópio refletor de 254mm que eu mesmo construí, com webcam comercial. Tom Lima.

Contudo, lá fui eu. Quero dizer que, por falta desse desinteresse por astrofotografia, não possuo equipamentos adequados e improvisei, usando uma câmara amadora digital comum, dessas que todo mundo tem em casa.

Fiquei com meu telescópio no quintal escuro até por volta das 2h de 1º de janeiro, depois que fiz algumas fotos de Marte, o Planeta Vermelho. Antes, fotografei Júpiter e seus satélites Ganimede, Io, Europa e Calisto. Pelo menos duas fotos de Júpiter mostram as cintas coloridas paralelas ao equador do planeta gigante.

Ainda fiz algumas astrofotos do Trapézio

O famoso Trapézio, estrelas extremamente jovens no coração da Nebulosa de Órion, feita com meu refletor de 254mm. Tom Lima

O famoso Trapézio, abaixo, estrelas extremamente jovens no coração da Nebulosa de Órion, feita com meu refletor de 254mm. Tom Lima

Outras fotos que fiz foram das estrelas mais brilhantes no céu, naquele momento da noite. Enquanto a cidade estourava foguetes comemorando o Ano Novo, 2012, eu fazia fotos das estrelas Betelgeuse e Rigel, em Órion; Aldebaran, em Touro; e Sírio, no Cão Maior.

Ainda fiz algumas astrofotos do Trapézio, asterismo no interior da Nebulosa de Órion. Também chamada Messier (M) 42, ou NGC 1976, a nebulosa é um berçário de estrelas. Vale ressaltar que não são astrofotos de boa qualidade e jamais sairiam em uma revista como as citadas acima. Produzi as fotos de modo improvisado, com o intuito, como disse acima, de ilustrar este blog.